Primeira carga Xiaomi: Tudo que você precisa saber

Quem vivenciou os primórdios dos celulares se lembra muito bem de como era a rotina. Antigamente, ao adquirir um celular, tínhamos que dar uma carga completa no aparelho caso ele viesse com 0%. E se ele estivesse com alguma carga, era necessário zerar o contador e fazer o carregamento em 100%. Isso acontecia porque tínhamos que evitar o famigerado “efeito memória” nas baterias de níquel-cádmio.

 

Hoje, graças ao avanço da tecnologia e com a chegada das baterias de íons de lítio, não precisamos mais passar por isso. Com a evolução dos aparelhos, foi necessário que as baterias também evoluíssem. Vamos entender o que mudou de lá para cá.

Como funcionava antigamente?

Muita gente se lembra que os celulares de antigamente podiam passar dias sem ir para a tomada; enquanto os celulares mais novos precisam ser recarregados quase uma vez por dia. Mas se engana quem pensa que as baterias antigas eram necessariamente melhores.

 

Os celulares demoravam mais para precisar de recarga porque eles não tinham componentes tão famintos de energia, como processador octa-core, modem 4G e tela OLED, por exemplo. Mas, com o tempo, os feature phones apresentavam um defeito conhecido como “efeito memória”.

 

O problema também era chamado de “bateria viciada”. Com o tempo, os ciclos de recarga ficavam cada vez mais curtos. Se o usuário recarregasse a bateria antes que estivesse totalmente descarregada, sua autonomia ia diminuindo.

 

É por isso que as fabricantes recomendavam que os usuários deixassem o celular ficar totalmente zerado para só depois colocá-lo na tomada. E por isso também era necessário que a primeira carga fosse de 12 horas, já que os feature phones geralmente vinham da loja descarregados.

 

A medida servia para prolongar a vida útil da bateria. Mas desde que os smartphones se popularizaram e as baterias de íon-lítio substituíram as de níquel-cádmio, esse cenário mudou. Ou seja: não, você não precisa deixar seu smartphone na tomada por 12 horas na primeira recarga.

Como funciona hoje?

Hoje, com as baterias de íons de lítio, não se faz mais necessária a primeira carga completa ou o esgotamento dela caso ela venha de fábrica com alguma energia. Isso acontece porque as elas não possuem mais o efeito memória. As baterias de lítio são muito menores e mais leves e além disso, o lítio possui excelente desempenho em aplicações em que a bateria funciona em ciclos de recarga e descarga, como no celular, apresentando vida útil superior às suas antecessoras.

 

A bateria de íons de lítio tem quatro partes internas principais: o anodo, para a carga positiva; o catodo, para a negativa; o separador, que separa o óxido de cobalto do lítio; e as próprias camadas de íons de lítio, que surgem dessa separação.

 

As lâminas internas, que compõem o catodo e anodo, são compostas de óxido de cobalto, íons de lítio, cobre e grafite. Quando a bateria entra em uso, os íons de lítio percorrem o caminho do anodo para o catodo, passando através do separador e se ligando ao óxido de cobalto. Quando isso ocorre, sobra basicamente um elétron por íon de lítio, que é “capturado” pelo anodo de grafite e gera a carga/energia.

 

Quando não há mais íons de lítio para serem transportados, a reação química acaba, fazendo com que a energia da bateria esgote. Quando recarregamos a bateria, o processo inverso ocorre, fazendo com que os íons de lítio voltem para o seu lugar.

 

É por isso que o vício não acontece mais e podemos carregar nossas baterias como bem entendemos.

Bateria de um novo smartphone Xiaomi

Você não precisa ter nenhum cuidado especial com a bateria do seu recém-adquirido smartphone. A Xiaomi já emite uma notificação logo quando o usuário liga o aparelho pela primeira vez.

 

A recomendação é deixar o smartphone carregar até atingir o limite de 100%, sendo desnecessário mantê-lo a noite toda na tomada. É só conectar ao carregador, colocar na tomada e tirar quando a bateria estiver cheia. Nem precisa deixar a unidade ficar totalmente descarregada para recarregar pela primeira vez.

 

Você pode até notar que, ao tirar seu novo smartphone da caixa, a bateria dele está em 70% ou 80%. Não há motivo para se preocupar. As fabricantes fazem isso de propósito como meio de retardar a chamada “autodescarga” – quando a bateria perde energia mesmo quando não está sendo usada, uma característica do íon-lítio.

 

Portanto, se você comprou um smartphone com Android pela primeira vez, não precisa se preocupar com a primeira recarga. Use-o tranquilamente e aproveite os recursos do aparelho.

 

Isso, porém, não exclui o fato de que temos que ter um certo cuidado com os smartphones e fontes de energia.

Cuidados com a bateria

Apesar da evolução das baterias, temos que ter alguns cuidados para preservar não apenas esse dispositivo, mas também o aparelho. Afinal de contas, estamos lidando com correntes elétricas e todo o cuidado é pouco. Por isso, empresas como a Xiaomi orientam seus clientes a evitarem certos comportamentos:

Prefira usar o carregador original do aparelho

A recomendação de grandes empresas do ramo, como Motorola, Samsung, Apple e Xiaomi é sempre optar por usar o carregador original do seu aparelho – aquele que veio na compra ou adquirido em lojas oficiais.

 

Utilizar carregadores paralelos podem trazer danos para a vida útil de sua bateria. Também não é indicado o uso de adaptadores de tomada, como benjamins, por exemplo.

Caso o seu carregador apresente problemas no futuro, você pode adquidir um novo original da marca Xiaomi de forma prática em lojas como a Amazon.

Evite lugares que podem aquecer o aparelho


Na hora de carregar o celular, evite locais como sofás, em cima de travesseiros ou cobertores. Isso pode ajudar a aquecer o aparelho, causando danos. Opte por lugares mais frescos e com passagem de ar.

 

Sabemos que é difícil, mas a dica é não usar o celular enquanto ele carrega
Outra recomendação para evitar o superaquecimento do aparelho é não utilizá-lo enquanto carrega. Espere até completar 100% de carga para voltar a curtir o celular.

Utilize carregadores em boas condições de uso


Diante de fios descascados ou tomadas que estão com mau contato, o ideal é suspender o carregamento do aparelho. O mesmo vale para dias de tempestade e chuvas muito fortes.

Nos últimos anos, o carregador sem fio tem cada vez mais populares. Uma das vantagens é a praticidade. Outra vantagem, é que dependendo do modelo de carregador sem fio você pode até mesmo recarregar vários aparelhos de uma vez. Excelente opção para não se preocupar com contato e fios gastos. Você pode encontrar carregadores sem fio da marca Xiaomi aqui.

Só coloque o celular para carregar quando for realmente necessário
Por fim, a maioria dos aparelhos dá um aviso quando o aparelho precisa ser carregado. Espere essa notificação aparecer até iniciar uma nova carga.

 

Com a utilização deste novo tipo de bateria, é possível identificar que o vício da bateria não é mais um problema para o consumidor. Mas, como todo produto, as baterias dos smartphones possuem uma vida útil, que pode ser conservada seguindo as condições básicas para sua manutenção, como optar pela recarga completa e manter o aparelho em condições de temperatura ambiente, por exemplo.

 

O antigo pensamento de que a primeira carga do aparelho precisa durar muitas horas não é mais uma realidade, basta atingir 100% da sua capacidade para que ele possa ser utilizado fora da tomada. O tempo exato para atingir este limite depende de fatores como o carregador utilizado e a capacidade da bateria.

Comments (14)

  1. Muito Obg Me Ajudou Muito Com Essa Boa Explicação, Comprei Um Celular Novo E Tava Precisando Totalmente Saber Dessas Explicações Que Me Ajudaram Muito

  2. Eu estou usando um bejamin,pq o meu carregador veio diferente da tomada.Ele veio a com um ferrinho na ponta,e a tomada daqui de casa não é dessa entrada dele,e o meu celular é um poco x3 pro,a tomada daqui de casa ela é a entrada redondinha,espero que vcs entenderam,acho que estou fazendo a coisa errada então.

  3. tenho uma duvida, comprei um celular xiaomi e o modelo de tomada dele não é compatível com a que tenho em casa, usar adaptadores diminuem a vida útil da bateria?

  4. acredito que não, visto que o adaptador só vai exercer a função de encaixe entre o carregador e a tomada, quem vai fazer a conversão de energia e transporte é o próprio carregador, pode utilizar sem medo.

  5. OLAH …. COMPREI UM REDMI NOTE 10 PRO, E INFELIZMENTE NA PRIMEIRA CARGA USEI UMA BASE DA SAMSUNG E DURANTE 40 MINUTOS SÓ CARREGOU 3% E DEVIDO A DEMORA TIVE QUE RETIRAR DA CARGA.
    OBS: SERÁ QUE A BATERIA VICIOU? OU DANIFICOU?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Carrinho (0)

Cart is empty Seu carrinho está vazio.

Vo Levar Xiaomi BH

O preço mais barato de Xiaomi em BH



Precisando de ajuda?